Acessar o portal SBRH

A equipe de enfermagem frente aos riscos de complicações durante os procedimentos de reprodução humana.

Desenvolvido por Amanda Cristina Braga de Oliveira – Membro da
Comissão de Enfermagem SBRH

Embora os procedimentos em reprodução humana sejam considerados simples e rápidos, os
riscos de algumas complicações não podem ser descartados.

Os procedimentos como aspiração folicular, pesa (aspiração percutânea de espermatozoide
do epidídimo), histeroscopia diagnóstico-cirúrgica, são realizados em centro cirúrgico, sob leve
sedação, e apesar do avanço das tecnologias e o uso de fármacos de curta duração, a equipe de enfermagem
deve estar ciente dos riscos e estar bem preparados para uma urgência/emergência.

A equipe de enfermagem dentro do centro cirúrgico tem um a papel muito atuante. Auxilia o
médico na abertura dos materiais, posicionam pacientes, e auxiliam também o médico anestesista,
além de realizar ações de cuidados direto ao paciente. Sendo de grande responsabilidade da equipe a
identificação dos riscos, no intuito de promover a assistência adequada.

Dentre as complicações mais comuns que podem ocorrer no momento dos procedimentos,
podemos identificar o risco de sangramento/hemorragias (sendo a complicação mais frequente,
pois a agulha de aspiração pode ferir órgãos pélvicos), risco de Parada Cardiorrespiratória, as infecções
pélvicas, dor severa (até mesmo, dias após o procedimento), torção anexial, rupturas de cistos
endometrióticos, além dos riscos de complicações associadas ao uso de anestésico, como, por
exemplo, broncoespasmos durante a anestesia.

Temos também o risco de complicações no pós-anestésico, destacando – se o risco de aspiração
e o risco de queda. E também as complicações advindas da SHO (síndrome de hiperestímulação
ovariana).

Antes e depois das cirurgias, o enfermeiro deve exercer um papel educativo, orientando o
paciente em relação ao procedimento e seus respectivos cuidados, manter o (a) paciente monitorado
(a), para o controle dos sinas vitais durante o procedimento, prevenindo assim possíveis complicações.

Dentre os demais cuidados de Enfermagem no centro cirúrgico, podemos destacar a utilização
do SAE (Sistematização da Assistência de Enfermagem); instrumento que aumenta o vínculo
entre o profissional e o cliente/paciente. A SAE auxilia o Enfermeiro na busca e identificação de
diagnósticos de Enfermagem e dá bases para que o profissional planeje os cuidados que devem ser
prestado ao cliente/paciente.

Além disso, a equipe de enfermagem deve estar capacitada e preparada para lidar com uma
intercorrência, visando sempre o bem estar e a segurança do paciente. Identificar situações de riscos
possibilita criar intervenções. A assistência dada ao cliente/paciente neste período deve garantir uma
recuperação segura, atendendo as necessidades que venham surgir antes, durante e após o procedimento.
Todos da equipe devem assistir a (o) paciente de forma integral e individualizada e deve
propiciar a ele (a) um ambiente seguro e confortável.

Referências

Salem A.El-Shawarby, Raul A. Margara, Geoffrey H. Trew & Stuart A. Lavery. A review of
complications following transvaginal oocyte retrieval for in-vitro fertilization. Human Fertility,
June 2004, 7(2): 127 – 133

C. Siristatidis, C. Chrelias, A. Alexiou & D. Kassanos. Clinical complications after transvaginal
oocyte retrieval: A retrospective analysis. Journal of Obstetrics and Gynaecology, January
2013; 33: 64–66

A.K.Ludwig1, M.Glawatz, G.Griesinger, K.Diedrich and M.Ludwig. Perioperative and postoperative
complications of transvaginal ultrasound-guided oocyte retrieval: prospective study
of >1000 oocyte retrievals. Human Reproduction Vol.21, N°.12 pp. 3235–3240, 2006

Veerle Vloeberghs, MD 1, Karen Peeraer, MD 1, Anne Pexsters, MD 2, Thomas D’Hooghe,
MD, PhD *. Ovarian hyperstimulation syndrome and complications of ART. Human Reproduction
Vol.21, N°.12 pp. 3235–3240, 2006

Amanda Haissa Barros Henriques, Suzana Santos da Costa, Janice de Sousa Lacerda. Assistência
de enfermagem na segurança do pacientecirúrgico: revisão integrada.
Cogitar e Enferm. 2016 Out/dez; 21(4 ): 01-09

Pereira DHM, Catafesta E. Técnicas de Alta Complexidade: FIV e TE. In: Dzik A, Pereira
DHM, Cavagna M, Amaral WN. Tratado de Reprodução Assistida. São Paulo: Segmento
Farma; 2014. P.103-111.

Stumm EMF, Maçalai RT, Kirchner RM. Dificuldades Enfrentadas por Enfermeiros em um
Centro Cirúrgico. Texto Contexto Enferm. 2006; 15:464-471.

Carvalho SC, Silva PC, Ferreira LS, Corrêa AS. Reflexo da Sistematização da Assistência
de Enfermagem (SAE) na Consulta de Enfermagem. Revista Rede de Cuidados em saúde.
2008; 2:1-8.

Stumm EMF, Maçalai RT, Kirchner RM. Dificuldades Enfrentadas por Enfermeiros em um
Centro Cirúrgico. Texto Contexto Enferm. 2006; 15:464-471.